18 de abr de 2011


O pedaço de alma que restou, permanece encostada no muro do tempo.
Solidez. Saudade. Solidão.
Reencontros com o presente, descobertas do passado.
Distante. Desconexo. Difuso. Difícil.
Ar, para onde foste? Preciso respirar [...]
Pó de poesia, parado nas paredes, atrás das portas ...
Um dia a gente se vê, 
Coração
Ferido
Vê se volta a bater como antes, num dia qualquer, nem que seja só pra refazer e colocar no lugar os fragmentos teus.
Sombra não sabe aonde ir, o corpo não quer seguir.
Calendário, ao contrário. 
O começo do fim, terminando exatamente assim.
O som da música parou.
O carnaval acabou.
Reticências, frases inacabadas, palavras embaralhadas, 
Raso e razão.
Silêncio e solidão.
De hoje em diante, um instante.
Me empreste alegria, me ofereça companhia.
Me proteja do medo, me conte um segredo. 
Tá cedo ...
Quando será que a noite chega?

11 comentários:

  1. é dor que não termina
    te empresto a minha alegria.

    Te beijo. Te saro.

    ResponderExcluir
  2. houve um tempo que eu não queria a noite...

    ResponderExcluir
  3. Adoro segredos de liquidificador... Adoro a conpanhia esperada... Como disse: o amor deixa rastros....deixa saudades...
    Bjs*

    ResponderExcluir
  4. Tomara que a noite chegue logo.

    Lindo texto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Mas quem ama não empresta alegria para o ser amado...quem ama doa.

    Belo texto parceira ;)

    ResponderExcluir
  6. Na noite, paira uma calmaria, conforta, talvez isola, mas ainda assim, ampara.

    ResponderExcluir
  7. essa mania de amar inevitavelmente conduz ao ato de entregar uma parte de si para alguém... bom seria se quando esse alguém fosse embora, fosse sem levar consigo essa parte que se doou... é a dor da ausência o que se sente quando o que se deu não volta mais

    ResponderExcluir
  8. Ah, esse vazio que ocupa todo o espaço quase esmaga a gente! oO

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Como a garota ali em cima falou, é a dor que nos inspira! Ótimo texto, querida!
    Beijo e uma ótima Páscoa! =*

    ResponderExcluir
  10. Pó de poesia, parado nas... suas palavras! :*

    ResponderExcluir
  11. Acho que o verdadeiro amor nunca se esgota de doer, nem que seja um doer prazeroso (sem masoquismo). Taí, gosto do teu jeito de escrever.

    ResponderExcluir

À você, um sorriso capaz de derreter o mais frio dos corações.