19 de mai de 2016



Não faria uso dos grandes poetas
Para tão simples dizeres
Como as lembranças inenarráveis
Daqueles dias
De riso fácil em um rosto oculto
Reduto de paisagens
Em vermelho vivo
Memórias de um ontem-não
Faria uso de versos óbvios
Pra falar de uma saudade fugaz
Como esse tempo
Que digo
De ilusão.

5 comentários:

  1. Será sempre tempo de ilusões para quem sente e escreve e se dói inteiro?
    Parece sina, quiçá, maldição.

    PS: Adorei a música. Não conhecia.

    ResponderExcluir
  2. "Faria uso de versos óbvios para falar de uma saudade fulgaz"

    Sempre muito doce isso aqui..
    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  3. escrever é uma maravilhosa incrível!

    ResponderExcluir
  4. Ilusão pré fabricada que cabe no poema e estufa o coração, guria

    ResponderExcluir

À você, um sorriso capaz de derreter o mais frio dos corações.